Essa técnica é bem legal e ajuda em várias coisas, tais como: educação à distância, treinanmento, tutoramento, auto-aprendizagem, etc.

Basicamente, um software (existem vários) faz a captura de tela de tudo que é realizado por um usuário na área de trabalho.

Depois, o software se encarrega de criar uma animação ou filme que dá a impressão de movimento.

Na verdade trata-se apenas de uma rápida sucessão de imagens capturadas enquanto o usuário ficava utilizando o computador.

Eu uso essa técnica com diversos fins: ensinar alunos a usar um software que eles não conhecem, criar ativades de ensino interativas, geração de e-books multimídia, etc.

Basicamente, existem 3 softwares gratuitos que ajudam a dar conta desta tarefa:

Falarei mais sobre a técnica na continuação desse post.

O Jing é o mais simples, apenas grava as ações do usuário. Se existir a necessidade de editar o vídeo e adicionar legendas ou caixas de texto, é necessário registrar o mesmo.

O Camstudio é simples, gratuito e oferece um adicional. Ele permite inserir caixas de texto, setas, anotações direto no vídeo. A desvantagem é que as anotações devem ser inseridas enquanto a gravação está sendo feita.

Nada que não se resolva com um planejamento prévio do que se deseja fazer. Funciona mais ou menos como uma peça de teatro. Tem que fazer um roteiro, ensaiar e sair “encenando” a peça, com a vantagem que dá para parar a gravação, pensar no que se quer fazer na sequência e continuar a gravar.

Essas pausas servem, também, para abrir caixas de texto e escrever observações importantes que devem aparecer durante a execução do vídeo.

É justamente nesse quesito que eu acho o Wink superior. Ele permite gravar todo o vídeo (screencast) primeiro e, somente após tudo gravado, é que o usuário vai se preocupar com caixas de texto, setas, flechas, botões, etc.

AH, gravou uma coisa que não deveria aparecer no vídeo final? Sem problemas, com o Wink dá para apagar as telas capturadas que não se deseja exibir.

Outra coisa boa que o Wink oferece é a possibilidade de inserir botões de “Vá para a príoxima parte do vídeo” ou “Vá para determinada parte do vídeo”.

Esses botões são muito legais e adicionam interatividade ao vscreencast. Além disso, o vídeo vai sendo executado até que aparece um botão. Só é possível dar prosseguimento à visualização do vídeo ao se clicar em um dos botões inseridos pelo autor do screencast.

Sendo assim, recomendo fortemente esses três softwares para quem estiver interessado nessa técnica. Dá para fazer uns produtos bem legais.

Hoje, vou oferecer a vocês alguns screencasts gerados por mim para a disciplina de Hipermídia.

Neles, eu usei o Wink para criar conteúdo digital.

Espero que aproveitem bem o material.

1.Baixando e instalando o Wink


tutorial_baixar_e_instalar_o_wink.swf

2. Usando o Wink para criar um screencast


tutorial_de_como_criar_tutoriais_com_o_wink.swf

3. Um exemplo de screencast já pronto


função_seno.swf

Para facilitar a visualização, você pode fazer o download dos screencasts acima.

Bibliografias sugeridas

123 e 4

Anúncios