Diário de um Químico Digital 3.0

Química, TICs e outras treconologias. :)

Obrigado pelos peixes* — 31/12/2012

Obrigado pelos peixes*

Fireworks4

Caros leitor@s do blog Diário de um Químico Digital, passei aqui apenas para agradecer.

Agradecer pelas visitas, agradecer pelos diversos e-mails que recebi ao longo do ano, agradecer pelas sugestões recebidas e agradecer pela oportunidade de poder me expressar livremente nesse meio de comunicação fantástico que se chama blog.

Meu blog pode não ter um conteúdo que agrade sempre, mas como o próprio nome diz ele é um diário e em diários a gente escreve o que bem quiser.

Claro que eu não trato isso aqui como uma folha em branco na qual posso escrever tudo que me vem à cabeça, eu tento compartilhar com vocês links interessantes que eu descobri por aí, eu tento comentar notícias científicas relevantes, e o mais importante de tudo é que eu tento mostrar que Química não é só misturar aguinhas coloridas em tubos de ensaio ou ficar sintentizando a nova molécula que vai curar o câncer.

Química é algo que está em tudo, que está no nosso próprio corpo, que nos permite viver, que nos permite ter energia para ficar digitando textos malucos na internet, etc e tal.

E é por poder fazer isso e ter um mínimo de retorno dos internautas que eu vim hoje agradecer.

Obrigado pela atenção de todos e que o novo ano seja pleno de realizações em todos os campos de suas vidas!

Voltaremos em 2013 com mais postagens, e eu prometo que algumas delas serão realmente interessantes! 🙂

0040-fireworks-chemistry

*Até mais e obrigado pelos peixes é o título de um livro clássico de ficção do autor Douglas Adams, mesmo autor do “Guia do mochileiro das galáxias”. Usei o título desse livro como título do post para fazer uma piada nerd com os leitores do blog e também para fazer alusão ao mal-sucedido apocalipse Mais, já que no livro os habitantes mais inteligentes da Terra eram os golfinhos e cairam fora do Planeta ao perceber que ele seria destruído. Como o mundo não foi destruído, a piada está aí para quem quiser ver…
Anúncios
Vídeo – célula assassina T ataca uma célula cancerosa — 29/12/2012

Vídeo – célula assassina T ataca uma célula cancerosa

Todos os dias, dentro do nosso corpo, uma guerra se desenrola.

Invasores microscópicos tentam nos fazer de refeição e nosso sistema imune combate-os violentamente, procurando os invasores e destruindo-os.

Um dos soldados rasos mais importantes nessa guessa é a célula T, um tipo de célula sanguínea branca com receptores que podem reconhecer substâncias estranhas.

Fig15_killert

As células T se originam no tutano dos ossos mas migram para para um órgão do sistema imune chamado Timo (por isso o “T” no nome dessa célula), onde podem amadurecer em paz.

As células T, que eventualmente deixam o timo e circulam por todo o corpo, vêm em diferentes tipos.

Um tipo, a célula citotóxica T, se especializou em atacar e matar células do corpo que estão infectadas por vírus, bactérias, ou câncer.

E é onde o vídeo abaixo se inicia. Ele foi criado pelo estudante de doutorado Alex Ritterna Universidade de Cambridge, e mostra uma dessas células T (também conhecida como “cálula assassina T”) atacando uma célula cancerosa.

O processo é exibido a 92 vezes a velocidade real. Para se obter um senso de escala, a célula citotóxica T mede apenas 10 micra de comprimento (algo como 0,00001 m), ou em torno de um décimo da espessura de um fio de cabelo humano.

A filmagem foi postada na Web recentemente como parte da série “Under the Microscope” da U.Cambridge.

O supervisor de Ritter no Departamento de Medicina, Professor Gillian Griffiths, explica a importância da pesquisa associada ao vídeo:

Células citotóxicas T são assassinas muito precisas e eficientes.

Elas têm a habilidade de destruir ou infectar as células cancerosas, sem destruir as células saudáveis ao redor delas…

Ao se compreender como isso acontece, nós podemos desenvolver maneiras de controlar as células T.

Isso possibilitará a nós encontrar maneiras de melhorar as terapias contra o câncer, e tratar melhor as doenças autoimunes causadas quando células assassinas resolvem atacar células saudáveis em nossos corpos.

FONTE

Conselho de amigo — 28/12/2012

Conselho de amigo

Você meu amigo mal humorado, você que vai ficar em casa e não vai poder viajar no feriadão, você que vai ter que aguentar aquele tio chato que sempre faz a piada do “pavê ou pacumê”.

Nestas festas de final de ano, leve em conta o conselho abaixo:

Alcool

TRADUÇÃO:Não quero ser muito técnico ou algo parecido. Mas, de acordo com a Química, álcool é uma solução!

MAN – A Jornada do Homem sobre a Terra — 27/12/2012

MAN – A Jornada do Homem sobre a Terra

Interessante animação sobre o comportamento da espécie humana.

O ser humano tem realmente o poder para comandar a natureza e os elementos, mas será que ele tem a sabedoria para isso?

Eu, particularmente, acho que o homem usa e abusa de força quando bastaria exercitar a belíssima capacidade de pensar que ele possui para tornar-se uma peça inteligente na cadeia da vida.

Você pode assistir a mais animações de Steve Cutts no site dele.

FONTE

 

 

Nós somos feitos de poeira de estrelas — 25/12/2012

Nós somos feitos de poeira de estrelas

É isso mesmo que você leu, nossos átomos vieram das estrelas.

Bang

O autor dessa frase clássica é o grande escritor Carl Sagan, um dos caras que mais me fez admirar a ciência quando eu era criança.

No início do Universo, com o tal do Big Bang (a grande explosão), surgiram  os primeiros átomos de hidrogênio.

Graphics5

Com o advento do tempo (sim, ele também passou a existir graças ao Big Bang), as reações de fusão nuclear produziram os átomos de hélio e, posteriormente, os núcleos dos sóis.

220px-deuterium-tritium_fusion

Daí para a frente, incontáveis bilhões de anos se passaram até que o “combustível” das estrelas entrasse em processo de escassez (pode até demorar, mas o hélio dos núcleos solares um dia acaba) e acontecesse a “extinção” desse material.

Outros incontáveis bilhões de anos se passaram até que novas e sucessivas reações de fusão nuclear produzissem o átomo mais pesado que é possível produzir através de fusão e com balanço energético favorável, o Ferro.

23_7fig

A partir do átomo de ferro, a produção de novos elementos químicos ocorre por fissão nuclear, pois a quantidade de núcleons (prótons e nêutrons) é muito grande e os núcleos atômicos tendem a se tornar instáveis.

Deem uma olhada nessa tabela de nuclídeos para ver todos os possíveis elementos químicos (e seus respectivos isótopos) que podem surgir através de processos nucleares (decaimentos alfa, beta+, beta-, etc). http://www.nndc.bnl.gov/chart/

Bom, o fato é que depois que os núcleos estelares entram em decadência, dependendo do raio da estrela, eles esfriam e acabam se tornando imensas fontes de minerais.

É daí que surgiram os diversos elementos químicos encontrados em nosso planeta e em corpos celestes similares.

Como eles se espalharam? Bom, isso é assunto para outro post informal como esse.

Para entender com mais facilidade o que falei acima, assisam ao vídeo do Neil de Grasse Tyson, um dos maiores divulgadores da ciência da atualidade.

Para quem não o conhece, digamos que ele ficou famoso por ter se tornado o personagem central de um meme graças a uma pose feita durante uma entrevista.

Vlcsnap-2011-11-10-19h19m39s159

Então, da próxima vez que disserem que você não é nada, pare e pense o seguinte:

Você é filho das estrelas e é mais uma parte do Universo.

Se você está aqui, é porque as reações nucleares prepararam o caminho para que tudo que o rodeia e até mesmo o seu corpo pudesse tomar forma.

Independente de crenças pessoais, essa é a mais bela verdade que o Cosmo colocou à disposição de todos nós:

Do pó estelar viemos e para o pó estelar retornaremos!

Obrigado a todos por acompanharem sempre este blog.

Um excelente novo ano e que em 2013 possamos continuar a falar sobre esses e outros surpreendetes fatos científicos.

P.S.: A ideia para esse post veio do HypeScience.

Boas festas a todos — 24/12/2012
O Super Supercapacitor — 23/12/2012

O Super Supercapacitor

Você não leu o título errado, é isso mesmo, a palavra SUPER está grafada duas vezes!

O vídeo a seguir trata de uma inovação surpreendente no campo da nanotecnologia.

Cientistas da UCLA espalharam óxido de grafite sobre um filme plástico, colocaram no leitor de DVD de um aparelho de som igualmente caseiro e, em menos de um minuto eles obtiveram grafeno.

220px-graphite_oxide

Grafeno, para quem não sabe, é uma “folha” formada apenas por átomos de carbono e é a matéria-prima dos nanotucos de carbono. (Vejam as imagens abaixo.)

Esse aqui é o grafeno:

Graphene

Filho do grafite (obtido do mineral grafita).

Structure-graphite

Nada mais de fornos, de arcos-oltaicos, de plasma e firulas mil para produzir grafeno, certo? Só o tempo dirá, mas o mais legal ainda não chegou.

Eles pegaram esse grafeno produzido de forma tão simples e conectaram um LED ao  filme de grafeno.

O LED não só acendeu como permaneceu aceso por 5 minutos. O grafeno produzido acumulou carga elétrica e agiu como uma fonte de enegia limpa e barata. Eles produziram um super-supercapacitor. 🙂

Se no futuro teremos baterias ecologicamente corretas baseadas nessa tecnologia, não posso dizer, mas que é uma descoberta impressionante, isso é!

Aqui o perfil do doutorando Mahel El-Kady, da Universidade do Cairo.

Semana que vem, escreverei um post tentando explicar como funciona esse supercapacitor.

Ah, aqui tem um outro post meu sobre nanotecnologia.

DIca do Sendentário.

A química dos flocos de neve — 21/12/2012

A química dos flocos de neve

Achei a dica no site da American Chemical Society chamado ByteScience (dica do FreeTech4Teachers, mais uma vez).

O vídeo acompanha a formação dos flocos de neve em partículas de poeira nas nuvens e depois tornam-se gotículas de água que caem em direção à Terra.

Quando as gotículasse resfriam, seis faces cristalinas se formam porque as moléculas de água se ligam em redes hexagonais quando ocorre o congelamento.

Isso explica porque os cristais de gelo crescem mais rapidamente nas regiões entre as faces, promovendo o desenvolvimento dos seis ramos que existem em muitos flocos de nve.

À medida que os flocos de neve continuam seu desenvolvimento, os tamos podem se expandir, crescer logitudinalmente e pontualmente, ou se ramificar ainda mais.

Como cada floco de nve cresce e se precipita em meio a massas de ar quente e frio, ele desenvolve uma forma e um padrão próprio e único.

Bom aprendizado!

 

Projetado para o Lixo – A história dos eletrônicos —

Projetado para o Lixo – A história dos eletrônicos

Vídeo muito legal que vai na mesma linha do vídeo “A história das coisas”.

Você tem uma gaveta em casa cheia de carregadores antigos que não servem pra mais nada?

Rá, pois saiba que isso é só uma estratégia das indústrias para manter a economia (e o bolso dos industriais) bem cheio.

Assista ao vídeo e aprendam um pouco mais sobre o nosso atual modelo produtivo (in)sustentável.

Dica da Universidade de Évora

Atividades interativas sobre Natureza – parte 2 —

Atividades interativas sobre Natureza – parte 2

No post anterior (clique AQUI para ver) eu apresentei 8 jogos e ou infográficos interativos cujo tema central era “natureza”.

Por absoluta falta de tempo, eu não postei todas as 16 existentes na página do canal PBS.

Pois bem, nesse segundo e último post eu termino de apresentar e comentar as demais atividades.

9) Sharkland – Interactive Anatomy: The Great White’s Weapons

(Terra do Tubarão – Anatomia Interativa: As Armas do Gigante Branco)

Você sabia que o tubarão branco possui 3000 dentes de 3 polegadas cada?

É, eu acho que ele não é muito chegado em salada! hehehehe

Aprenda mais sobre a anatomia desse impressionante predador nessa atividade interativa.

9

 

 

10) Voyage of the Lonely Turtle – Turtle Voyager Game

 

(Viagem da Tartaruga Solitária – Jogo da Tartaruga Viajante)

Com 30 anos de idade essas simáticas tartarugas atingem a maioridade (em outras palavras, deixam de ser dimenor).

Elas viajam 9000 léguas para colocar seus ovinhos fertilizados nas praias do Jspão e, quem sabe, perpetuar sua espécie e deixar sua carga genética para as próximas gerações.

10

Nesse jogo você deve guiar a simpática tartaruga de modo a evitar as redes de pesca e os ouriços-do-mar.

Coma águas-viva e acumule pontos. A cada 5000 pontos você ganha uma vida extra. Cada vez que você enconstar em um rede de pesca, perde uma vida.

Joguinho simples mas bem divertido!

11) Penguins of the Antarctic – Penguin Secrets of Survival Challenge

(Pinguins da Antártida – Segredos do Desafio de Sobrevivência dos Pinguins)

Joguinho simples de “Verdadeiro” ou “Falso”. Se você acertar a resposta para a pergunta, o pinguim dá um refrescante mergulho nas águas geladas da Antártida. Se errar, ele cai fora e fica de cara com você (seu burro).

11

12) Horse and Rider – Play Animal Scramble

(Cavalo e cavaleiro – Jogue uma partida de Scramble Animal)

Scramble é aquele joguinho de peças embaralhadas, e é justamente essa a proposta dessa atividade interativa.

Uma imagem de um animal desconhecida, dividida em nove peças totalmente embaralhadas, é oferecida a você no início da atividade.

Clique em uma peça e avalie, se ela pertencer àquela parte da imagem passe para a próxima peça. Se ela não fizer parte daquela parte da imagem, clique novamente até ajustar 

12

13) Sled Dogs: An Alaskan Epic – Interactive: Dogsledding 101

(Cães de Trenó: Eum Épico do Alasca – Interativo)

Dog Sledding é difícil de traduzir em poucas palavras para o português, mas é algo como “cães que puxam trenó”.

E é sobre isso que trata essa atividade interativa, Aprenda mais sobre os Huskies Siberianos, sobre os Malamutes do Alaska, sobre os Samoyeds ou sobre os cães Esquimó. 

13

 

14) Wild Horses of Mongolia with Julia Roberts – Race Across the Steppe!

(Cavalos Selvagens da Mongólia – Corrida Através da Estepe!)

Aprenda nessa atividade interativa que os tahki (raça Mongol de cavalos, cuja tradução é espírito) é o maior orgulho desse povo.

Aprenda que Gengis Khan, por volta de 1234, instituiu um sistema de correios baseados em cavalos.

O leite fermentado de égua é a bebida preferida dos nômades mongóis (Khal Drogo é descendente distante desse povo, pelo visto).

Eles adoram corridas de cavalos e, como não podia deixar de ser, você disputa uma corrida contrao tempo. A cada resposta correta, seus cavaleiros avançam em direção ao final do jogo.

Vale a pena pelo lado histórico da atividade, já que de interativa ela não tem muito. 🙂

14

 Só não entendi o que o nome da Julia Roberts faz ali no nome do aplicativo.

15) Big Red Roos – Big Red Roos Boxing Game

(O Grande Roos Vermelho – Jogo de Boxe do Grande Canguru Vermelho)

Não muito educativo, é verdade. 

Quem é que nunca trocou uns sopapos com um Wombat? Ora, deixem o pobre do canguru vermelho em paz!

Brincadeiras a parte, dá para se divertir por uns 2 minutos com essa atividade que, além da briga, fornece algumas informações e curiosidades sobre essa espécie australiana.

15

 

16) Baby Tales – Breeding Habits

(Histórias de Bebês – Hábitos de Gestação e Criação de Bebês)

Você sabia que a gestação do búfalo dura um ano? Nããããããoooo????

Ora, então está na hora de dar uma olhadinha nessa linha do tempo dos hábitos de gestação e criação dos animais. É, no mínimo, curioso!

16

E era isso, logo voltarei com mais novidades fresquinhas para vocês!

Se os Maias não resolverem determinar uma nova data para o fim do mundo!

 

%d blogueiros gostam disto: