Diário de um Químico Digital 3.0

Química, TICs e outras treconologias. :)

Regata Termodinâmica – uma proposta de ensino de Físico-Química através de projetos — 17/06/2014

Regata Termodinâmica – uma proposta de ensino de Físico-Química através de projetos

Galera, estou escrevendo esse post para divulgar o trabalho de um colega, o Prof Dr Jones de Andrade da UFRN.

E do que se trata o trabalho proposto pelo Prof Jones?

Simples! Dentro de uma disciplina de Físico-Química tradicional para o curso de Licenciatura em Química (edit: a turma também tinha alunos de bacharelado e de química do petróleo), o professor sugeriu aos alunos que uma parte da nota fosse obtida através do planejamento, elaboração, construção e testagem de um barco movido a motor de explosão combustão.

O barco deveria ser capaz de atravessar um laguinho artificial, que existe na reitoria da universidade, apenas com a propulsão gerada pelo motor.

Os barcos deveriam ser construídos com material caseiro, não podiam ser comprados já prontos e o relatório contendo todos os cálculos termodinâmicos dos ciclos inerentes a cada tipo de motor deveria ser feito em vídeo.

Para isso, o Prof lançou mão das TIC (sigla para Tecnologias da Informação e Comunicação), criando um canal no YOUTUBE para hospedar os relatórios em vídeo e o teste dos barcos no lago da reitoria.

É esse canal que eu quero divulgar aqui, o REGATA TERMODINÂMICA.

Para deixar um gostinho do trabalho desenvolvido pelo professor e seus alunos, vou colocar aqui o vídeo de um barco movido a motor de combustão (ciclo de Stirling) cujo nome de batismo foi Fuleco. 🙂

Aqui o vídeo da travessia:

Aqui o vídeo do relatório, contendo todos os cálculos e detalhes técnicos:

Claro que esse não foi o único objetivo do projeto, resoluções de exercícios de Físico-Química SEM CALCULADORA e com tutoria do professor também fizeram parte das atividades da disciplina.

A ideia por trás dessa iniciativa era melhorar as habilidades matemáticas dos alunos, que normalmente chegam com dificuldades para realizar cálculos nas disciplinas de graduação. O estímulo para resolver os exercícios era, mais uma vez, uma parcela da nota total.

O legal, pelo que pude observar nos vídeos, é que os alunos lançaram mão de várias tecnologias para a elaboração dos mesmos. Como a disciplina não é de TIC, mas sim de Físico-Química, ela não se limitou a provocar a aprendizagem apenas de conteúdos teóricos, mas proporcionou também a oportunidade de explorar as TIC na elaboração de material didático digital (eu vi que usaram até screencasts ali).

E quem lê o blog ou acompanha a página no facebook sabe o quanto eu gosto de utilizar as TIC na elaboração de material didático e também para facilitar a aprendizagem.

Resta dar os parabéns ao Prof Jones e aos seus corajosos alunos que aceitaram embarcar nessa jornada.

Live long and prosper! \/

 

 

Adoçante artificial também funciona como inseticida — 13/06/2014

Adoçante artificial também funciona como inseticida

Em um recente artigo publicado no periódico PLOS One são informados os resultados de uma pesquisa realizada com moscas-da-fruta (Drosophila melanogaster) e seis adoçantes comuns no mercado norte-estadunidense.

Drosophila_melanogaster_-_side_(aka)

Dos seis adoçantes testados, um deles mostrou-se eficaz como inseticida.

Sabendo-se que o ciclo de vida da mosca vai de 45 a 60 dias de duração, os cientistas geraram (não sei o termo biológico mais adequado, então vai “geraram” mesmo) moscas em tubos contendo os tais adoçantes.

Em um tubo, contendo um dos adoçantes mais vendidos nos EUA e conhecido pelo nome comercial de Truvia, as moscas viveram por 5,8 dias (em média).

Truvia-Website-e1337034386178

Investigações posteriores determinaram que o responsável por essa mortandade de moscas foi causada por um dos ingredientes presente no adoçante Truvia (cuja base é a Stevia) e ausente nos demais, a molécula conhecida pelo nome de eritritol.

A presença dessa substância no meio faz com que as moscas tornem-se incapazes de locomover adequadamente, ou seja, produz efeitos no sistema motor dos insetos.

O eritritol é um aditivo alimentar autorizado pelo FDA e, portanto, não apresenta riscos aos humanos (até que se prove o contrário).

Do ponto de vista químico (já que este é um blog de química), pode-se dizer sobre o eritritol:

  • Nome IUPAC: (2R,3S)-1,2,3,4-Butanotetrol
  • Massa molar: 122,119797 g/mol
  • Fórmula estrutural plana:

eritritol

 

  • Aparência física: cristais brancos (não inalar)
  • Ponto de fusão: 118-120ºC
  • Solubilidade: 0,1 g/mL
  • Dados adicionais: CHEMSPIDER

Ah, só para constar, essa pesquisa nasceu de um projeto de feira de ciências. É legal estimular a curiosidade pelas ciências nas crianças, pois mesmo projetos simples podem produzir novos cientistas, tão necessários à nossa sociedade cada vez menos pensante.

Fontes: 1, 2

Alternativas digitais para o ensino de Química – Palestra na UFFS — 06/06/2014

Alternativas digitais para o ensino de Química – Palestra na UFFS

Bom, aí vai mais um material que produzi para uma palestra sobre Alternativas metodológicas para qualificar o ensino de Química.

Dessa vez foi na minha antiga instituição, a UFFS da cidade de Cerro Largo no RS.

Como prometido aos presentes, eis a apresentação para apreciação e download.

Peço desculpas pela formatação apressada da mesma. 😀

Bolhas de sabão fantasmagóricas — 04/06/2014

Bolhas de sabão fantasmagóricas

E aí, que tal aprender a fazer umas bolas de sabão assustadoramente divertidas?

É difícil? Claaaaro que não!

Primeiro, assista ao vídeo abaixo. Depois darei a receita e algumas explicações.

Você só vai precisar da tradicional mistura composta por sabão líquido, água e xarope de glicose (o famoso Karo aqui no Brasil).

O ingrediente que torna as bolhas em bolhas-fantasma é um líquido preparado a partir de canetas marca-texto (a cor amarela é a melhor) e álcool. Ah, após soprar sua bolha, de preferência no escuro, arranje uma lâmpada de luz negra ou um led que emita radiação ultravioleta e aponte para as bolhas, você vai observar um efeito similar ao do vídeo.

Pincel-Marca-Texto-Amarelo-Lumicolor-200SL

Fiquem agora com a explicação (quase) científica na sequência do post.

Continue lendo

%d blogueiros gostam disto: