Eu tinha visto esse vídeo abaixo no Omedi, daí postei um comentário lá tentando dar a minha explicação e falei que ia postar aqui o tal vídeo.

Sem pesquisar nada antes, eis a minha explicação parcial transcrita abaixo:

“Cara, eles encheram a cuba previamente com um gás mais denso que o ar (e que o barquinho de alumínio). Pelo baixo custo do experimento, acho que é nitrogênio ou argônio gasoso. Ao retirar a tampa, o gás não escapa para fora dela e o barco de folha de alumínio flutua como se estivesse na água, pois a única diferença entre ela e o tal gás é a diferença no estado de agregação (a água é muito mais condensada que o gás).

Tanto é verdade que quando eles começam a roubar gás com um copo de béquer e colocam no barco, ele afunda, pois o gás roubado com o copo é substituído por ar.
Para mim, é a explicação mais plausível, não quer dizer que seja a verdadeira.
Gostei do vídeo, vou postar no meu blog. OK?”

Daí, navegando pelo linklog, encontrei o mesmo vídeo em outro blog e alguém já matou qual o gás que é usado no experimento. Chama-se hexafluoreto de enxofre, o famoso SF6 das aulas de geometria molecular (ele tem geometria octaédrica). (Nesse link aqui tem uma versão interativa da molécula.)

Leia mais na continuação.

Resolvi verificar essa possibilidade. Pesquisei a densidade dele e descobri que é de 6,13 g/L (a 25 °C), contra os 1,2 g/L do ar à 25 °C

O argônio que eu citei antes tem densidade de 1,7 g/L (a zero Celsius, temperatura bem menor que a vista no vídeo, então não pode ser ele). 

O nitrogênio gasoso tem densidade 1,25 g/L à mesma temperatura de zero Celsius, como a densidade diminui com o aumento da temperatura, também é improvável que seja ele o gás usado no vídeo.

Sendo assim, é bem provável que o gás usado no experimento seja realmente o hexaflureto de enxofre, visto que além de ser 5 vezes mais denso que o ar, ele é incolor, atóxico e inodoro. Como não tem ninguém sufocando no vídeo, acho que tá tudo certinho com esse gás.

Então tá, divirtam-se assistido quantas vezes desejarem ao experimento do “barco flutuando no nada”. 🙂

Quem souber de outros vídeos curiosos assim, é só me contatar pelo e-mail contato@diariodeumquimicodigital.com

Fui!

Anúncios