Ingredientes:

  • Água mineral
  • Detergente líquido para louças
  • Corante alimentício
  • Sal de Cozinha
  • Álcool isopropílico 70% (pode ser adquirido em farmácias)
  • Cuspe (saliva, se é que você me entende)

Procedimento Experimental:

  1. Misture uma colher de sopa de sal de cozinha a 500 mL de água;
  2. Mexa a mistura até que o sal dissolva completamente;
  3. Transfira 3 colheres de sopa da solução salgada para um copo limpo
  4. Faça um bochecho com a solução por cerca de 1 minuto;
  5. Cuspa o resultado do seu bocheco de volta para o copo, suas células estarão nessa solução.
  6. Adicione uma gota de detergente líquido à solução salina (aquela cheia de baba) e misture gentilmente SEM FORMAR ESPUMA!
  7. Em um terceiro copo, misture 100 mL de álcool isopropílico com 3 gotas de corante alimentício;
  8. Vire o conteúdo do copo contendo o álcool isopropílico no copo contendo suas células de tal forma que o álcool (colorido) forme uma camada na parte superior.
  9. Aguarde por volta de 2 min e 30 s ou até que grumos e fios brancos se formem no fundo do copo.
  10. Insira o bastão usado para agitar e remova-o suavemente, o fio branco que sairá junto com ele é formado pelo seu DNA.

Se você quiser, dá para fazer com banana ou outras frutas, desde que estejam bem esmagadas e que possam ser misturadas com os ingredientes acima mencionados.

<Dr Chatoff mode on>

  1. O sal misturado à água serve para aumentar a pressão osmótica da solução e causar uma diferença de pressão entre os fluidos da sua saliva e os fluidos dentro das células da bocheca. Como a solução é mais concentrada, ela vai forçar o transporte de água do interior para o exterior das células (elas murcharão). Esse murchamento, aliado ao movimento mecânico promovido pelo bochecho vai fazer com que as células superficiais e desprendam e se misturem à solução salina.
  2. As células “murchas” encontram as moléculas de detergente e, nesse processo, as paredes celulares (lipofílicas) serão dissolvidas pela cadeia carbônica do detergente e ficarão próximas do rompimento (facilitado pela retirada de água da célula por efeito osmótico).
  3. O álcool isopropílico é um auxiliar importante no rompimento das células, pois também ajuda a dissolver as cadeias apolares das paredes celulares.
  4. Após terem suas paredes celulares rompidas, as células liberam o material genético na solução salina. O DNA sofrerá uma coagulação, o que confere a aparência grumosa e esbranquiçada exibida no vídeo.
  5. O corante só tem a função de servir de contraste entre a solução e o DNA. 

<Dr Chatoff mode off> 

Vi no SemFoco.com.

Anúncios