Materiais e metodologia do Programa Intel Aprender chegarão a áreas em situação de risco por meio de centros de inclusão social mantidas pela UNESCO.

A Fundação Intel realizou uma parceria com a Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID) e a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) para implementação da metodologia do Programa Intel Aprender em cerca de 180 centros comunitários de educação do país. Por meio dos cursos “Tecnologia e Comunidade” e “Tecnologia no Trabalho”, a iniciativa capacitará mais de 10 mil crianças e jovens no uso da tecnologia da informação.

A Fundação Intel, a USAID e a UNESCO oferecerão cursos de informática a jovens que freqüentam o programa “Atendimento Integral ao Educando e à Comunidade na Perspectiva de uma Cultura de Paz no Distrito Federal”, parceria entre a UNESCO e a Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal, e a crianças atendidas pelos quatro Espaços Criança Esperança, mantidos pela campanha Criança Esperança, um projeto da REDE GLOBO em parceira com a UNESCO, em comunidades das cidades de São Paulo-SP, Rio de Janeiro-RJ, Belo Horizonte-BH e Olinda-PE. Com esta iniciativa, a Intel prevê que jovens inseridos em comunidades de risco possam se dedicar a atividades extracurriculares nas escolas e nos centros comunitários.

“O acesso à tecnologia é fundamental para a redução da desigualdade social, colabora para a formação de jovens e contribui para o aumento da competitividade do país, pois permite uma rápida evolução de idéias e habilidades necessárias para enfrentar os desafios do século XXI”, disse Fabio Tagnin, gerente de Educação da Intel Brasil. “Acreditamos que projetos de sucesso estimularão a participação de entidades não-governamentais, representantes do setor público e da iniciativa privada em atividades que incentivem a educação, com a elaboração de políticas efetivas de inclusão social”, completa o executivo da Intel.

“Para a USAID as parcerias público-privadas são o melhor e o mais eficiente mecanismo para promover desenvolvimento. É com base nesse pensamento que acreditamos que esta iniciativa tem um grande potencial para expandir oportunidades econômicas e promover inclusão social e melhorar a qualidade de vida de milhares de jovens”, disse Alex Araújo, Assessor de Desenvolvimento Sócio-Econômico da USAID Brasil.

“A UNESCO encoraja os esforços do setor privado na promoção de iniciativas de responsabilidade social e participa em diversos projetos de parceria em prol da inclusão social de jovens em situação de risco, como é o caso desta parceria com a Intel e a USAID. Tais iniciativas têm grande importância para a construção de uma sociedade mais cidadã, por meio da promoção do protagonismo juvenil e da preparação para o mercado de trabalho”, disse Marlova Noleto, coordenadora de Ciências Humanas e Sociais da UNESCO no Brasil.

Os jovens poderão se matricular em dois cursos que compõe o programa Intel Aprender, ambos formatados na estrutura de projetos, nos laboratórios de informática dos Espaços Criança Esperança e nas escolas da rede pública do Distrito Federal. O curso “Tecnologia e Comunidade” dará a grupos de estudantes a chance de elaborarem seus trabalhos, desde a definição do tema e identificação do problema, comunicação para a sociedade e proposta de solução.

Já o curso “Tecnologia no Trabalho” é focado para jovens que já estão se preparando para ocupar um posto no mercado de trabalho, usando a tecnologia como base para construir conhecimento sobre profissões e oportunidades de carreira. O Programa Intel Aprender será o responsável pelo fornecimento dos materiais e da metodologia de aprendizagem para ambos os cursos. A capacitação dos professores e monitores dos centros de inclusão e escolas será realizada pela Fundação Bradesco, parceira da Intel em diversos programas educacionais. E caberá à UNESCO o planejamento, execução, supervisão e avaliação do Programa. Mais informações sobre o programa Intel Aprender podem ser acessadas pelo site do programa.

Anúncios