A partir do segundo semestre deste ano, professores da rede de ensino pública do Brasil vão receber cerca de 600 mil tablets. A ação deve atingir 62.230 escolas de todo o país. O investimento aplicado para que isso seja feito gira em torno de 150 a 180 milhões de reais e já está em trâmites desde dezembro de 2011, quando o governo manifestou o interesse em adquirir 900 mil tablets de fabricação nacional, com telas entre 7 e 10 polegadas. 

O governo pagará quase R$ 300 pelo tablet de 7 polegadas e aproximadamente R$ 470, pelo de 10 polegadas. O que significa menos da metade do preço, já que um tablete de 7 polegadas sairia por R$ 800 em valor normal.

Este programa começa com os professores porque o MEC acredita que os docentes necessitam dominar o aparelho antes deles chegarem até os alunos. “A inclusão digital tem que começar pelo professor. Se ele não avançar, dificilmente a pedagogia vai avançar”, afirmou o ministro da educação, Aloizio Mercadante, à Agência Brasil.

Pelo equipamento, o professor poderá organizar aulas, acessar a internet e até apresentar a sua aula por meio de lousas digitais. Por enquanto, apenas professores do ensino médio receberão os tablets. Em breve, os docentes do ensino fundamental também terão acesso.

Por enquanto, não há previsão para os alunos receberem os dispositivos. E quando isso acontecer, as pessoas só têm de lembrar de desativar o Facebook, Twitter e outras redes sociais, além do Youtube na ferramenta. Se não, o que era para servir de educação, vai diretamente para o ralo.

Ei, MEC, eu sou professor e quero um Samsung Galaxy Tab 10.1, tá? o/

 

FONTE1 e FONTE2

Anúncios