Deu no blog Retraction Watch, mas li mesmo foi na timeline do Facebook do Rodrigo Leal, meu colega de profissão.

A editora Elsevier desqualificou 11 artigos de Química de um grupo brasileiro, pois detectou inúmeros indícios de fraude nesses trabalhos.

Os artigos estão em revistas de outubro de 2009 em revistas como “Journal of Colloid and Interface Science” Immobilization of 5-amino-1,3,4-thiadiazole-thiol onto kanemite for thorium(IV) removal: Thermodynamics and equilibrium study, de autoria de Denis L. Guerra, Marcos A. Carvalho, Victor L. Leidens, Alane A. Pinto, Rúbia R. Viana, and Claudio Airoldi.

A Elsevier deixa bem claro quais são os critérios para tomar tal atitude, é só clicar no link a seguir para ler. http://www.elsevier.com/locate/withdrawalpolicy

A seguir, uma lista de papers considerados fraudulentos pela editora:

– Journal of Colloid and Interface Science 337 (2009) 122–130

– Inorganic Chemistry Communications 12 (2009) 1145–1149

– Journal of Environmental Radioactivity 101 (2010) 122–133

– Process Safety and Environmental Protection 88 (2010) 53–61

– Journal of Physics and Chemistry of Solids 70 (2009) 1413–1421

– Applied Surface Science 256 (2009) 702–709

– Inorganic Chemistry Communications 11 (2008) 20–23

– Inorganic Chemistry Communications 12 (2009) 1107–1111

– Journal of Hazardous Materials 172 (2009) 507–514

– Journal of Hazardous Materials 171 (2009) 514–523

– Journal of Colloid and Interface Science 338 (2009) 30–39

Não é preciso dizer que a publicação de um artigo em revistas indexadas internacionalmente é um importante fato na vida de um pesquisador, bem como uma das pedras fundamentais da pesquisa científica mundial. Os editores da revista definiram políticas e linhas-de-guia éticas que devem ser obedecidas pelos autores e editores e ela faz de tudo para que essas normas sejam cumpridas por todos.

Eles reuniram provas conclusivas de fraude e decidiram denunciar tais artigos em suas revistas.

É possível encontrar diversos outros papers do mesmo grupo brasileiro que não foram retirados de circulação pela Elsevier, incluindo um no Journal of Hazardous Materials publicado recentemente,  “Organofunctionalized Amazon smectite for dye removal from aqueous medium–kinetic and thermodynamic adsorption investigations.”

Alguns desses artigos receberam mínima atenção de outros pesquisadores. Entretanto, um paper de 2008 no Inorganic Chemistry Communications, Performance of modified montmorillonite clay in mercury adsorption process and thermodynamic studies,” foi citado 31 vezes, de acordo com o Web of Science.

Os editores da Elsevier contataram o autor, da UNICAMP, por e-mail. De acordo com o pesquisador, no ano passado um jovem pesquisador português acusou o grupo de Airoldi de ter fabricado imagens de RMN em 11 artigos, particularmente para os átomos de carbono e sílica.

 Os espectros usados nas imagens estavam errados, disse o cientista português. Airoldi disse que ele era apenas um usuário da técnica de RMN e que nunca tinha utilizado-a incorretamente.

Os paers estavam entre aproximadamente 21 que Airoldi escreveu com Guerra, na época um estudante de graduação, o qual está agora na Universidade Federal de Mato Grosso. Guerra não foi encontrado para dar um pronunciamento. Já Airoldi alega ter mais de 400 publicações, e disse que ele convidou o professor português para escrutinar os dados em busca de evidências de fraude, mas não recebeu resposta também.

Airoldi defendeu-se e ao seu colega Guerra, dizendo que eles “não fabricaram os espectros”. O pesquisador português, de acordo com ele, estimulou a Elsevier “na direção” de um julgamento de fraude.

Airoldi, por sua vez, disse por e-mail:univ

Agora eu estou em más condições em minha Universidade e talvez venha a sofrer algumas restrições.

Anúncios