A princípio, botulina não é uma molécula que a gente possa sair por aí chamando de “molécula”, isso porque ela é uma proteína e é muito maior do que nós químicos costumamos chamar por esse nome.

Uma proteína é um agregado de vááááários aminoácidos ligados entre si por uma ligação pepítidica (ligação Carbono-Nitorgênio).

As proteínas costumam apresentar quatro tipos de estrutura, veja na figura abaixo:

A estrutura primária diz respeito à sequência de aminoácidos que compõem a proteína, a secundária diz respeito ao tipo de disposição espacial da sequência de aminoácidos (pode ser alfa-hélice ou folha-beta), a terciária diz respeito ao enrolamento das fitas no espaço (digamos que isso é a forma externa da proteína) e a quaternária diz respeito ao arranjo de uma ou mais unidades protéicas que se associam para formar algo bem complexo.

Dei essas explicações iniciais para que vocês entendam porque a botulina não tem um nome químico mais rigoroso. 

Ela é uma toxina altamente altamente perigosa, proveniente da bactéria Clostridium Botulinum, sob condições ideais (10ºC e ausência de oxigênio) ela se reproduz e libera seis tipos diferentes da toxina, sendo a forma A a mais eficaz e duradoura.

O que eu vou escrever na sequência merece um <Dr. Chatoff mode on>. Se você quiser continuar a ler, clique no link a seguir.

Não por acaso, a botulina é a substância biológica mais tóxica conhecida. A botulina tem estabilidade química suficiente para ser usada em aerossóis. (Imagina, um desodorante rexona de botulina!)

Lá pela década de 1930, acredita-se que os japoneses usaram essa belezinha para contaminar fontes de água dos soldados russos. Ou seja, ela é tão potente que serve como arma química. (que meda!) 

A fórmula mínima da botulina é C6760H10447N1743O2010S32.

Carne em conserva mal enlatada, peixes, palmito ou certos molhos podem conter a toxina e conservá-la por longo tempo.

A ação química da botulina é a de inibir uma enzima chamada acetilcolina, cuja função de neurotransmissor nos músculos é vital para o funcionamento dos membros e órgãos. Com botulina na jogada, a acetilcolina não é liberada e ocorre uma paralisia muscular.

Em nível molecular, a toxina entra no nervo ligando-se a uma proteína na superfície da célula.  Cada um dos subtipos da toxina liga-se a uma proteína diferente. 
Ao ligar-se, previne a interação entre as estruturas sinápticas (onde a acetilcolina fica armazenada) e a membrana celular (que recebe a acetilcolina e transmite o impulso elétrico).

O maior barato da botulina é que ela tem uma ação tão eficaz que apenas uma ou duas moléculas conseguem desativar completamente uma terminação nervosa. Outras moléculas capazes de bloquear essa interação requerem centenas ou milhares de moléculas por célula para ter um efeito considerável.

A aplicação mais conhecida da botulina é no campo da beleza. As pessoas com músculos cansados aplicam botulina diretamente na região afetada.

O músculo, coitado, que não sabe de nada das intenções do seu dono, perde a capacidade de reagir a estímulos cerebrais para se mover e aquela região fica paralisada enquanto dura o efeito da toxina. Como resultado, essas linhas de expressão ficam suavizadas e a pessoa fica com carinha de bundinha de bebê.

Quem tiver curiosidade, eu achei nesse link aqui a sequência de aminoácidos (estrutura primária) da botulina.

MQEVNKQFNY KDPVNGVDIA YIKIPNVGQM QPVKAFKIHN KIWVIPERDT
FTNPEEGDLN PPPEAKQVPV SYYDSTYLST DNEKDNYLKG VTKLFERIYS
TDLGRMLLTS IVRGIPFWGG STIDTELKVI DTNCINVIQP DGSYRSEELN
LVIIGPSADI IQFECKSFGH EVLNLTRNGY GSTQYIRFSP DFTFGFEESL
EVDTNPLLGA GKFATDPAVT LAHELIHAGH RLYGIAINPN RVFKVNTNAY
YEMSGLEVSF EELRTFGGHD AKFIDSLQEN EFRLYYYNKF KDIASTLNKA
KSIVGTTASL QYMKNVFKEK YLLSEDTSGK FSVDKLKFDK LYKMLTEIYT
EDNFVKFFKV LNRKTYLNFD KAVFKINIVP KVNYTIYDGE NLRNTNLAAN
FNGQNTEINN MNFTKLKNFT GLFEFYKLLV VRGIITSKTK SLDKGYNKAL
NDLQIKVNNW DLFFSPSEDN FTNDLNKGEE ITSDTNIEAA EENISLDLIQ
QYYLTFNFDN EPENISIENL SSDIIGQLEL MPNIERFPNG KKYELDKYTM
FHYLRAQEFE HGKSRIALTN SVNEALLNPS RVYTFFSSDY VKKVNKATEA
AMFLGWVEQL VYDFTDETSE VSTTDKIADI TIIIPYIGPA LNIGNMLYKD
DFVGALIFSG AVILLEFIPE IAIPVLGTFA LVSYIANKVL TVQTIDNALS
KNEKWDEVYK YIVTNWLAKV NTQIDLIRKK MKEALENQAE ATKIINYQYN
QYTEEEKNNI NFNIDDLSSK LNESINKAMI NINKFLNQSV SYLMNSMIYG
VKRLEDFDAS LKDALLKYIY DNRGTLIGQV DRLKDKVNNT LSTDIPFQLS
KYVDNQRLLS TFTEYIKNII NTSILNLRYE SNHLIDLSRY ASKINIGSKV
NFDPIDKNQI QLFNLESSKE EVILKNAIVY NSMYENFSTS FWIRIPKYFN
SISLNNEYTI INCMENNSGW KVSLNYGEII WTLQDTQEIK QRVVFKYSMQ
MINISDYINR WIFVTITNNR LNNSKIYING RLIDQKPISN LGNIHASNNI
MFKLDGCRDT HRYIWIKYFN LFDKELNEKE IKDLYDNQSN SGILKDFWGD
YLQYDKPYYM LNLYDPNKYV DVNNVGIRGY MYLKGPRGSV MTTNIYLNSS
LYRGTKFIIK KYASGNKDNI VRNNDRVYIN VVVKNKEYRL ATNASQAGVE
KILSALEIPD VGNLSQVVVM KSKNDQGITN KCKMNLQDNN GNDIGFIGFH
QFNNIAKLVA SNWYNRQIER SSRTLGCSWE FIPVDDGWGE RPL

Esse monte de letrinhas é um código de apenas uma letra que tem sua legenda abaixo:

Letra Aminoácido Aminoácido Radical
A Alanina alanil
C Cisteína cisteinil
D Ácido aspártico aspartil
E Ácido Glutâmico  glutamil
F Fenilalanina fenilalanil
G Glicine glicil
H Histidina histidil
I Isoleucina isoleucil
K Lisina lisil
L Leucina leucil
M Metionina metionil
N Asparagina asparaginil
P Prolina prolil
Q Glutamina glutaminil
R Arginina arginil
S Serina seril
T Treonina treonil
V Valine valil
W Triptofano triptofanil
Y Tirosina tirosil

E acho que era isso, já posso desligar o modo chato. 😉

<Dr. Chatoff mode off

Fiquem com os meus patrocinadores.

FONTES: 1, 2 e 3 

Anúncios