Assasinos silenciosos.

Episódio de hoje: monóxido de carbono 

Silent Killers

 

Monóxido de carbono (CO), também chamdo de óxido carbônico, é um gás incolor, inodoro e sem sabor que é ligeiramente mais leve que o ar. É altamente tóxico para humanos e animais em doses elevadas, apesar de ser produzido pelo metabolismo normal de animais em baixas quantidades, e acredita-se que tenha algumas funções biológicas. 

Consiste de um átomo de carbono e um de oxigênio, conectados entre si por uma ligação covalente tripla. 

Carbon-monoxide-resonance-2D.png

Ele é o composto oxocarbônico mais simples, e é um anidrido (derivado por perda de uma molécula de água) do ácido fórmico. Em complexos de coordenação ele recebe o nome de carbonila.

Ele é produzido da oxidação parcial de compostos contendo carbono; ele se forma quando não existe oxigênio suficiente para produzir o dióxido de (mono)carbono (CO2), como em fornos ou motores a combustão em espaços confinados.

Na presença de oxigênio, ele queima com uma chama azul, produzindo o (CO2). Gás mineral, que foi amplamente usado até os anos de 1960 para iluminação doméstica, alimentação e aquecimento a despeito de sua toxicidade continha dióxido de carbono como seu principal componente. Alguns processos de tecnologia moderna, tais como a fundição do ferro, ainda produzem o CO como principal sub-produto. 

Devido a reações fotoquímicas na troposfera, a maior fonte de CO é natural, respondendo por 5 x 1012 kg/ano. Vulcões, incêndios florestais e outras formas de combustão são fontes importantes de CO. 

Em biologia, o monóxido de carbono é naturalmente produzido pela ação da heme oxigenase 1 e 2 no grupamento HEME da hemoglobina. Esse processo produz uma certa quantidade de carboxihemoglobina em pessoas normais, mesmo se elas não respirarem qualquer quantidade de monóxido de carbono.

 

Há relatos de que o monóxido de carbono é um neurotransmissor normal, bem como um dos três principais gases que naturalmente modula respostas inflamatórias no corpo (os outros dois são o monóxido de nitrogênio – NO – e o sulfeto de hidrogênio – H2S.), o monóxido de carbono recebeu uma grande atenção como um regulador biológico.

Em muitos tecidos, todos os três fases são conhecidos por atuar como anti-inflamatórios, vasodilatadores e encorajadores do crescimento neovascular. Tentativas clínicas de tratamentos com pequenas quantidades de CO como droga estão em andamento.

Skull and crossbones.svg

Agora, a parte que interessa: Ele é o agente de envenenamento do ar mais comum em muitos países. Quando combinado com a hemoglobina, forma a carboxihemoglobina, que é ineficaz na entrega de oxigênio aos tecidos corporais. Essa condição é conhecida como anoxemia.

Concentração em torno de 667 ppm podem causar conversão de até 50% da hemoglobina do corpo na forma carboxi. 

Os sintomas mais comuns de envenenamento por monóxido de carbono podem assemelhar-se a outros tipos de envenenamentos e infecções, incluindo sintomas tais como dor-de-cabeça, náusea, vômito, confusão, fadiga e um sentimento de fraqueza. Crianças podem ficar irritáveis e se alimentar mal. Sinais neurológicos incluem confusão, desorientação, distúrbios visuais, síncope e tonturas.

Algumas pessoas descrevem que o envenenamento por CO inclui hemorragias visuais, e uma tonalidade vermelho-cereja no sangue.  

Liga-se a outras moléculas como a mioglobina e citocromo mitocondrial oxidase. Exposições ao CO podem causar danos significativos ao coração e sistema nervoso central.

Ocorrência atmosférica

O CO é o componente majoritário da poluição atmosférica em algumas áreas, ele é proveniente da exaustão de motores a combustão mas também pode ser proveniente da combustão incompleta de diversos outros combustíveis (madeira, carvão, óleo, parafina, propano, gás natural e lixo em decomposição).

O monóxido de carbono faz também parte de uma série de reações químicas que formam o smog fotoquímico. Juntamente com os aldeiídos, ele reage fotoquimicamente para produzir radicais peróxido.

Os radicais peróxido oxidam o monóxido de nitrogênio (NO) a dióxido de nitrogênio NO2.

A criação do dióxido de nitrogênio é o passo crítico na formação de ozônio a baixas altitudes (componente do smog).

Esse é um problema muito grave, pois o NO que reage e forma ozônio a baixas altitudes não está mais disponível para formar ozônio nas camadas atmosféricas superiores e, portanto, prejudica a camada de ozônio que protege a Terra. Ao mesmo tempo, o ozônio formado a baixas altitudes é tóxico para seres humanos, causando irritações nas mucosas. 

 CO + 2O2 → CO2 + O3

Se você quiser produzir o CO em laboratório, basta fazer uma reação entre o zinco metálico e o carbonato de sódio:

Zn + CaCO3 → ZnO + CaO + CO

Obviamente o CO não é apenas um assassino, isso foi só uma brincadeira que eu fiz para justificar o uso da imagem acima. Ele tem importantes aplicações industriais, científicas e até mesmo médicas. Se eu tiver paciência, posto essas outras informações aqui no blog num futuro próximo.

FONTE

Anúncios