Em um post sobre corantes alimentícios, eu falei sobre diversos compostos orgânicos usados industrialmente.

No entanto, eu fiquei devendo uma explicação sobre três deles:

  • Verde Rápido
  • Azorrubina
  • Azul Patente V

 

Leia mais na sequência do post…

Verde Rápido

Também conhecido como verde alimentício 3, Verde FD&C 3, Verde 1724, Verde Sólido FCF, CI42053 ou E143.

Tem uma cor verde-marinha.


Embora proibido na União Europeia como corante alimentício, é usado em outros países como corante de ervilhas verdes, certos vegetais, gelatinas, molhos, peixes e sobremesas.  

Também é usado como marcador quantitativo de histonas na extração de DNA em pH ácido e como marcador de proteínas na eletroforese, pois possui absorção máxima de 625 nm no UV-visível. 

Em testes biológicos, apresentou efeitos tumorigênicos e mutagênicos em animais de laboratório e em humanos. Também é um irritante dos olhos, pele, trato digestivo e respiratório, quando na forma não-diluída.

 

Azorrubina

Também conhecida como carmoisina, vermelho alimentício 3, carmoisina brilhante O, vermelho ácido 14 ou E122.

Ver imagem em tamanho grande

É um corante da família dos azocompostos, geralmente na forma dissódica.

 

A cor da azorrubina varia do vermelho a uma cor vermelho-terrosa (marrom).

Ver imagem em tamanho grande

Geralmente, a azorrubina é usada em alimentos que passaram por processos de aquecimento após um processo de fermentação.

Alimentos nos quais esse corante costuma ser usado incluem: rocamboles, geleias, conservas, balas de gelatina, iogurtes, cheesecake, e até em enxaguantes bucais.

Diversos azocompostos têm sido associados ao surgimento de câncer, principalmente o de próstata.

Diversos estudos apontam que o uso desse corante associado ao conservante benzoato de sódio pode realmente causar esses males. Por conta disso, diversos países baniram o uso de azorrubina como corante alimentar, inclusive os EUA.

 

Azul Patente V

Também conhecido pelos nomes de azul alimentar 5, azul sulfano ou E131. 

É um corante sintético de cor azulada. 

PATENT BLUE V

 

Consiste essencialmente de sais de cálcio ou sódio do 2-[(4-dietilaminofenil)(4-dietilimino-2,5-ciclo-hexadien-1-ilideno)metil]-4-hidroxi-1,5-benzenidissulfonato.

Patent Blue V

Pode ser convertido à forma de laca (uma espécie de verniz) se, ao invés de cálcio ou sódio, alumínio for usado na sua preparação.

É solúvel em água, parcialmente solúvel em etanol.

Esse corante, não muito usado, foi banido nos EUA, Noruega e e Austrália.

É usado na medicina como contraste em exames do sistema linfático e como revelador de placas dentárias.

Pode causar reações alérgicas, coceiras, náusea, hipertensão e até choques anafiláticos (em casos raros).

 

Com esses três, encerro essa série de posts sobre corantes alimentícios. Agora vou procurar outro grupo de substâncias para falar, talvez eu resolva escrever sobre aromas sintéticos. Até a próxima.

FONTE

Anúncios