Em uma conversa com uma amiga, fiquei sabendo de um tal de chocolate que não derrete à temperatura ambiente.

Daí, resolvi pesquisar sobre isso quando chegasse em casa.

Fuçando aqui e ali, encontrei algumas coisas bem interessantes sobre o tal chocolate.

Ele foi descoberto meio que por "acaso" quando os funcionários da empresa do chocolatier Barry Callebaut trabalhavam em outra invenção. Como resultado, eles desenvolveram um chocolate que só derrete a temperaturas acima de 55ºC ou quando entre em contato com as enzimas da saliva.

Com essas propriedades originais, o chocolate batizado de Vulcano, pode ser comido em dias quentes, não suja as mãos e ainda por cima é menos calórico que os seus similares.

O nome incomum dado ao chocolate deve-se ao fato de que ele resiste ao calor, é extremamente aerado e tem uma consistência de espuma. Além disso, o Vulcano é bem leve e crocante, sem perder o sabor tradicional de um bom chocolate.

O desenvolvimento de tal chocolate é algo que vem sendo tentado há anos por diversos fabricantes. A americana Hershey's já tentou fazer algo similar mas só conseguiu desenvolver uma barra de chocolate dura e altamente quebrável.

A empresa de Barry foi a primeira a desenvolver algo que nenhuma outra conseguiu antes. Eles são os maiores fabricantes de chocolate no mundo, sendo responsáveis por fornecer matéria-prima a empresas de grande porte, como a Nestlé, por exemplo. Daqui a dois anos o chocolate será lançado no mercado, o que deverá elevar o lucro da empresa em 66%, trazendo lucros por volta dos US$190 milhões.

Wunder bar: Barry Callebaut's "Vulcano" chocolate doesn't melt at body temperature

Para quem não sabe, o corpo humano é uma fábrica química fantástica. Diversos ciclos bioquímicos ocorrem nas células do corpo humano, regulando o seu funcionamento.
As enzimas são as responsáveis por catalisar as reações bioquímicas, ou seja, diminuir a energia de ativação de uma determinada reação química.

As enzimas são, em sua maioria, especializadas em um determinado tipo de reação. Elas só catalisam aquela reação específica ou aquela classe de reações.

Outras são mais abrangentes, catalisam a decomposição de amidos, de açúcares, de gorduras, etc.

É justamente aí que reside o truque do chocolate Vulcano. Na saliva humana temos uma enzima chamada ptialina, responsável por iniciar o processo de digestão humana. A ptialina inicia a quebra dos amidos da alimentação que ingerimos, o que vai terminar produzindo açúcares mais simples e ajudar a produzir energia para o bom funcionamento do corpo humano.

Claro que o truque de derretimento do chocolate não foi revelado e nem será revelado tão cedo, mas o caminho parece ser esse, alguma enzima presente na saliva inicia o processo de derretimento do chocolate.

Quem quiser saber mais sobre a ptialina, pode acessar o link a seguir: Alfa-amilase

FONTES:
Revista Veja
Time
Swiss Info
Guardian

Anúncios