Diário de um Químico Digital 3.0

Química, TICs e outras treconologias. :)

Publicação e divulgação de ciência pela internet — 20/10/2016

Publicação e divulgação de ciência pela internet

3trumpets

Mais uma vez venho aqui no blog postar um material apresentado em sala de aula com o intuito de compartilhar o que aprendi nas minhas “andanças” virtuais pela Web.

O tema de hoje é Divulgação Científica na Internet, um tema que abordamos na disciplina de Tecnologias da Informação e Comunicação I do Mestrado Profissional em Ensino de Ciências do qual faço parte.

Fiquem com a apresentação e muito obrigado pela audiência.

 

Anúncios
Como construir o motor mais simples do mundo — 09/12/2015

Como construir o motor mais simples do mundo

the-flintstones

Uma mesa recoberta com folhas de alumínio, uma bateria e ímãs em formato de moeda.

Nem vou explicar como montar, é só assistir ao vídeo abaixo.

Boa diversão! 🙂

Via Science Dump

Uma reconstrução em escala do sistema solar que ocupa 7 milhas de deserto — 22/09/2015

Uma reconstrução em escala do sistema solar que ocupa 7 milhas de deserto

Semana passada andou rolando um vídeo mostrando os bastidores da construção de uma gigantesca maquete de sistema solar construída por dois caras (Alex Gorosh e Wylie Overstreet) no Deserto Black Rock (estado de Nevada – USA).

A ideia surgiu porque as representações mais comuns mostram os planetas desproporcionalmente grandes em relação às órbitas que eles descrevem em torno do Sol.

Sem mais delongas, dá pra dizer que a representação deles ficou fantástica.

DICA: Não esqueça de ativar as legendas do vídeo.

FONTE

IMAGEM

Física (e Química) Nuclear: fundamentos e Aplicações — 12/06/2015

Física (e Química) Nuclear: fundamentos e Aplicações

E então, como prometido aos alunos do curso de Licenciatura em Física da UNIPAMPA Bagé, aqui está a minha apresentação sobre física e química nuclear (que ninguém viu por causa da falta de energia elétrica).

A palestra ocorreu no dia 11/06/2015, só que graças ao 3G da Morto eu fiquei mais de 24 horas tentando colocar online.

Bom, agora está online. Façam bom proveito!

docslide.com.br_fisica-e-quimica-nuclear-fundamentos-e-aplicacoes

Buracos negros – um estudo comparativo — 19/12/2014

Buracos negros – um estudo comparativo

800px-Black_hole_Cygnus_X-1

Tudo começou com Albert Einstein e o desenvolvimento da teoria da relatividade.

Alguns resultados teóricos davam conta de entidades que poderiam parar o tempo, possuir gravidade infinita e possivelmente destruir o espaço em si.

Apesar de muito improváveis, essas entidades existem e foram detectadas pelos astrônomos, hoje as conhecemos pelo nome de BURACOS NEGROS.

Qualquer corpo celeste pode vir a tornar-se um, basta que esse objeto seja comprimido e forçado a aumentar sua densidade (diminuir seu raio) abaixo de um determinado valor conhecido como Raio de Schwarzchild.

O vídeo a seguir inicia mostrando como nosso Sol poderia tornar-se um buraco negro. Depois passa por buracos negros pequenos até chegar ao maior e mais massivo buraco negro já detectado.

Não precisa ser nenhum gênio para acompanhar as animações, tanto que não é totalmente necessário acompanhar o texto. Apenas para fins didáticos, eu transcreverei após o vídeo as explicações textuais que surgem ao longo do mesmo.

Se nosso Sol fosse comprimido ao tamanho de uma cidade pequena ele atingiria o Raio de Schwarzchild e viraria um buraco negro.

Se o planeta Terra fosse reduzido ao tamanho de um amendoim, o mesmo aconteceria.

O Buraco Negro XTE J1650-500 possui aproximadamente o tamanho de Manhattan e a massa de 3-4 Sóis. Esse é um dos “pequenos”.)

O M82-X1 tem o tamanho similar ao do planeta Marte, a massa dele é equivalente a 1000 Sóis (é considerado um buraco negro mediano).

No aglomerado de Fênix (não é o irmão do Shun, please) existe um buraco negro supermassivo. Nosso sistema solar inteiro caberia milhares de vezes dentro dele. A massa do buraco é de “apenas” 20 bilhões de Sóis!!!!!

E aí, gostaram?

 

 

Uma bola de boliche e uma pluma caem com a mesma velocidade? — 03/11/2014

Uma bola de boliche e uma pluma caem com a mesma velocidade?

quedalivre20.0

SPOILER ALERT!!!!!!!

SIM!

Ok, isso todo mundo aprende na escola e fica extremamente surpreso com essa informação quando a recebe pela primeira vez!

Depois vira até “lugar comum” esse fato, ninguém mais se surpreende.

Agora, eu pergunto, você já viu isso acontecer? Eu me refiro ao fato de dois objetos com diferentes massas caírem à mesma velocidade SE estiverem no vácuo.

Ciência é baseada em fatos, não em opiniões. Ninguém questiona que esse fato científico, testado exaustivamente por todos aqueles cientistas que vieram antes de nós seja verdadeiro.

Que é bom dar uma espiadinha no tal experimento só pra tirar a “dúvida”, isso ninguém questiona.

Assistam ao vídeo abaixo, filmado na maior câmara de vácuo do mundo (que não supreendentemente é de propriedade da NASA).

100,000 Estrelas – Visualize a Via Láctea direto no seu browser — 24/04/2014

100,000 Estrelas – Visualize a Via Láctea direto no seu browser

 via lactea

Esse site criado pelo pessoal da empresa Google é fantástico.

sol

Ele apresenta uma simulação interativa da nossa galáxia, contendo a localização de aproximadamente 100.000 estrelas.

100000 stars

É possível até mesmo fazer uma ‘tour’ guiada pela Via Láctea.

Ah, nosso sistema solar está lá representado, com direito a animações do Sol e tudo o mais.

sist solar

Dê uma passadinha em http://workshop.chromeexperiments.com/stars/ e divirta-se com o nosso Cosmos.

(E aproveite para ver nossa postagem sobre a série Cosmos estrelada por Neil de Grasse Tyson).

Introdução a circuitos elétricos com simuladores (continuação) — 21/04/2013
Introdução a circuitos elétricos com simuladores — 17/04/2013

Introdução a circuitos elétricos com simuladores

Recebi a dica para este vídeo em uma postagem da Profa Marisa Cavalcante no Google+.

Eu já tive a oportunidade de fazer um curso com essa pessoa fantástica que ela é, além de gostar muito da dinâmica de trabalho dela.

Sem maior enrolação, eis o vídeo da Profa Marisa.

Ah, e só pra constar, eu uso o PhET e tenho obtido resultados bem interessantes em sala de aula com ele.

Tutorial do Tracker para experimentos de Física (MRU/MRUV) — 13/03/2013

Tutorial do Tracker para experimentos de Física (MRU/MRUV)

Já faz um tempinho que tenho esse tutorial pronto, tanto que a versão do Tracker disponível no site é mais atual que a que eu usei no meu documento.

Tá, isso não importa muito, a interface mudou quase nada da versão 4.72 para a 4.80.

Meu tutorial ainda tá valendo!

Quem tem interesse em usar câmeras digitais para incrementar as aulas de Física, aí está um bom ponto de partida.

Basta baixar dois programinhas (Xuggle e Tracker) e tomar o cuidado de instalar o Xuggle antes do Tracker e sair usando.

Se você ainda não tem a Máquina Virtual Java atualizada, faça-o antes de sair instalando esses dois programas. 😉

Boa diversão a quem se aventurar com o Tracker! 😉

Links para os softwares:

Xuggle Versão Windows 32-bit

Open Source Physics Tracker – Versão 4.80 para Windows

%d blogueiros gostam disto: