Diário de um Químico Digital 3.0

Química, TICs e outras treconologias. :)

A Ficção Científica como elemento motivador para promover o encantamento pela Ciência — 20/10/2017

A Ficção Científica como elemento motivador para promover o encantamento pela Ciência

1888186-borg_cube

Somos os Borg!

Baixem seus escudos e entreguem suas naves!

Adicionaremos suas particularidades biológicas e tecnológicas às nossas!

Sua cultura será adaptada para servir à nossa! 

Resistir é inútil!

Calma, pessoal! Isso não passa de uma piada nerd.

É só uma das muitas frases que a raça alienígena Borg (do universo de Star Trek) recita toda vez que encontra uma nova raça que tem potencial para ser assimilada.

Com esse espírito eu iniciei ontem (dia 19/10/2017) a minha fala sobre Ficção Científica na Semana Acadêmica Integrada do Curso de Licenciatura em Ciências Exatas da UNIPAMPA Caçapava do Sul.

Como sempre faço, posto logo a seguir o material da palestra para todos que quiserem ler com mais calma os slides que apresentei durante a minha fala de ontem.

Agradeço a todos e todas presentes à palestra e digo que me diverti muito falando ao grupo de alunos e professores presentes.

E, como não podia deixar de ser, despeço-me dizendo que “não esqueçam de trazer uma toalha”.

Anúncios
Mudança Climática: Sim, Somos Nós, e Sim, Podemos Provar! — 27/03/2015

Mudança Climática: Sim, Somos Nós, e Sim, Podemos Provar!

por Andy Dufloth

Desvios nas temperaturas médias planetárias de 2014: O ano mais quente da História até 2014!
Desvios nas temperaturas médias planetárias de 2014: O ano mais quente da História até 2014!

É oficial: Até pouco tempo atrás, tínhamos as manchetes avisando para o óbvio e esperado (e desesperador!) fato de que 2014 seria o ano mais quente já registrado[1]; Agora a confirmação com a compilação de todos os dados saiu, e sim, 2014 foi o ano mais quente da História[2]. Por isso, fui obrigado a agilizar  esta série de artigos já planejada. Série de artigos esta fundamentalmente necessária no Brasil, graças à nossa quota particular de Negacionistas da Ciência, que tem tido a voz bastante amplificada na mídia (e mesmo nas decisões políticas!) sob a alegação de “diversidade do debate” ou “ensinar a controvérsia”. Na verdade, apenas “imprensa marrom aumentando audiência com falsas polêmicas”!

P.S.: Este artigo deveria ter sido lançado ainda em fevereiro… Peço desculpas!

Continuar lendo

Sugestão de canais no youtube com experimentos de ciências em tablet — 17/06/2013

Sugestão de canais no youtube com experimentos de ciências em tablet

Tablet? Experimentos de Ciências? Pode isso, Arnaldo?

Poooooodeee, Galvão!

É o que o pessoal do canal do Youtube Física em Cena (no facebook, curta a página deles) se propõe a fazer.

No experimento que vou compartilhar com os leitores do blog, a Profa Dayanne Amaral realiza um experimento simples de Física sobre ondas estacionárias.

Divirtam-se com o vídeo, vou passar a publicar semanalmente vídeos desse pessoal inovador. (E eu já estou com ideias malignas aqui a respeito do assunto!)

Ah, mas você falou em “ciências” lá no título.

Claro, esse pessoal que não dorme em serviço também está produzindo vídeos para o ensino de Química usando os nossos amigos tablets.

Vejam o vídeo do Prof Anderson Silva explicando um belo experimento reações de precipitação.

Oficina “Estratégias e recursos da Web 2.0 para a elaboração de livros eletrônicos e hipermídias para o ensino de ciências” — 23/05/2013
Vídeo – Lux Aeterna: uma jornada da luz – Das galáxias distantes até as gotículas de água — 17/01/2013
O Super Supercapacitor — 23/12/2012

O Super Supercapacitor

Você não leu o título errado, é isso mesmo, a palavra SUPER está grafada duas vezes!

O vídeo a seguir trata de uma inovação surpreendente no campo da nanotecnologia.

Cientistas da UCLA espalharam óxido de grafite sobre um filme plástico, colocaram no leitor de DVD de um aparelho de som igualmente caseiro e, em menos de um minuto eles obtiveram grafeno.

220px-graphite_oxide

Grafeno, para quem não sabe, é uma “folha” formada apenas por átomos de carbono e é a matéria-prima dos nanotucos de carbono. (Vejam as imagens abaixo.)

Esse aqui é o grafeno:

Graphene

Filho do grafite (obtido do mineral grafita).

Structure-graphite

Nada mais de fornos, de arcos-oltaicos, de plasma e firulas mil para produzir grafeno, certo? Só o tempo dirá, mas o mais legal ainda não chegou.

Eles pegaram esse grafeno produzido de forma tão simples e conectaram um LED ao  filme de grafeno.

O LED não só acendeu como permaneceu aceso por 5 minutos. O grafeno produzido acumulou carga elétrica e agiu como uma fonte de enegia limpa e barata. Eles produziram um super-supercapacitor. 🙂

Se no futuro teremos baterias ecologicamente corretas baseadas nessa tecnologia, não posso dizer, mas que é uma descoberta impressionante, isso é!

Aqui o perfil do doutorando Mahel El-Kady, da Universidade do Cairo.

Semana que vem, escreverei um post tentando explicar como funciona esse supercapacitor.

Ah, aqui tem um outro post meu sobre nanotecnologia.

DIca do Sendentário.

Simulações e modelagem computacional no ensino de Química e de ciências — 10/12/2012
Diferenças entre Biologia, Química e Física — 20/11/2012
Nanotecnologia hoje – células de combustível, buckybolas e nanotubos de carbono — 25/10/2012
Projetos científicos ambientais na escola — 11/10/2012
%d blogueiros gostam disto: